A Marvada Carne : uma epopéia caipira

marvadacarne

Link para baixar o filme completo:

https://mega.co.nz/#!CEVA1DwT!JpPnm5xugr8wGRKHyX0Mzu4ZFDGEHnbQJCjBFCq8Ptk

Comentários sobre o filme  A MARVADA CARNE
Por Zuleika Bueno

O filme

Ao sair das terras ermas onde vivia, Nhô Quim buscava duas coisas: arrumar uma boa mulher para casar e conseguir saborear um pedacinho de carne de boi. No povoado da Véia Torta encontrou a tal mulher, uma roça boa para trabalhar, uma série de compadres para ajudar nas caçadas e nas festanças da colheita. Mas nada da carne de boi. Sá Carula, sua mulher, bem sabia desse seu desejo e foi assim, além da ajuda de Santo Antônio, que ela conseguiu arranjar o casamento com o moço. Prometeu matar um boi quando a cerimônia acontecesse. Só Nhô Quim não sabia que o boi prometido era o famoso Barroso, um bicho arredio que há tempos havia sumido no mundo. Depois de passar por muitas provas e mostrar que estava pronto para ser bom marido, o casamento aconteceu. Mas nada da carne de boi.A vida de casado era boa. Nhô Quim era marido trabalhador. Sá Carula, esposa carinhosa. Nhô Totó e Nhá Policena sogros prestativos, sempre prontos a oferecer um cuscuz de galinha e um pedaço de queijo para o jovem casal. Logo veio a filhada, uma menina para tomar conta da casa,  um menino para mandar no mundo. Mas nada da carne de boi.Até que um dia, Nhô Quim pensou, pensou e – carcule! –  encontrou um jeito de experimentar a tal carne. Pegou o trem, foi até a cidade… e o que aconteceu ali foi coisa que nem o diabo arranjaria. Aquele comércio todo, gente pra lá e pra cá, imagem de boi para todo lado, frigorífico, açougue. Mas nada do moço conseguir um pedacinho de carne para comer. E apesar de naquele tempo acontecer muito mais coisa no campo do que na cidade, Nhô Quim um dia descobriu que também havia muita esperteza, mutirão e compadrio na metrópole,

Premiação
A Marvada Carne ganhou o prêmio do júri e do público no Festival de Gramado em 1985

A direção
André Klotzel iniciou seu trabalho como cineasta atuando no Super-8 e realizando curtas nas Universidade de São Paulo, onde cursou a faculdade de cinema. A Marvada Carne foi seu primeiro longa-metragem, baseado numa peça escrita pelo também roteirista Carlos Alberto Soffredini. No filme, os realizadores recuperam o cinema rural consagrado pelo comediante Mazzaropi, combinado pelo perfil antropológico do “caipira” descrito por Antônio Candido em seu estudo sobre Os Parceiros do Rio Bonito. A mistura entre o popular e o acadêmico resulta num cinema leve, engraçado e profundamente fiel às necessidades e sociabilidade da vida caipira.
(CINUEM:  http://www.uem.br/cinuem/index.php?option=com_content&task=view&id=69&Itemid=29)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s